14 de agosto de 2008

Querida Márcia !

Oi, Benditas Patchworkeiras, querida Márcia,

Eu não sei quanto a vocês, mas eu amo essa mulher.

Minha história começou quando conheci a família Palumbo Martins e seu pequeno Chuvisco (para quem não conheceu, um poodle fofíssimo e safado que eu tive a honra de cuidar como veterinária por vários de seus 16 anos), naquela época acho que nem a própria Márcia imaginava que o Patch a faria tão feliz.

Amei o primeiro presente que ela me deu de patch, uma árvore de Natal de tecido cheia de bolinhas douradas e dois anjinhos no topo. No ano seguinte um panô lindo de Natal que por muitas vezes adornou a porta da casa da minha mãe, até que eu tivesse a minha própria porta. Depois foi uma bolsa, e tantos outros mimos. Desde então eu sonhava aprender o ofício, mas os anos foram passando, nunca sobrava vaga na loja de patchwork perto da clínica e eu sempre na lista de espera. Até que um dia eu fiquei grávida do meu pequeno Gui e aí falei que já havia protelado demais essa história de começar a aprender, então após nova decepção com a tal loja, perguntei sem esperança se a Márcia conhecia alguém que desse aulas de patch e olha que maravilha, ela respondeu: “EU!!!” .

Foi a melhor coisa que me aconteceu, não só tenho a melhor professora do mundo mas uma amiga preciosa que a gente guarda no canto mais bonito dos nossos corações. O Chuvisco se foi, meu pequeno guerreiro nasceu, “arrastei” minha mãe para fazer aulas (o que não foi nada difícil, pois esta é outra apaixonada pela arte), fiquei dois anos sem aulas, e acho que nem veterinária sou mais, mas agora voltei e estou MUUUUUUITO feliz. Já estou fazendo uma colcha de crazy para nossa cama de casal, uma árvore do Advento para a escola do Guilherme e muitos projetos virão. Obrigada Márcia, por você ser tão especial. Que Deus te proteja e guarde você assim, uma preciosidade deste mundo, como as coisas que você costura com tanto amor.

Amo você,
1 beijo, Grazi

Um comentário:

Santo Pano - Patchwork e Gifts disse...

Oi Grazi, fiquei emocionada com seu relato ! Acho que uma das coisas mais importantes da vida são as ligações verdadeiras e cheias de afeto que a gente consegue fazer durante o percurso....."Bendito Fio" ! Super bjo, Fabi.